Este ano, o Carnaval e o Dia dos Namorados partilham o protagonismo.
Se olharmos com alguma atenção para estas duas datas/temáticas, encontramos algumas parecenças. 

Ambos requerem criatividade. Carnaval sem criatividade não é Carnaval! “De que me vou vestir este ano? Quem vou querer ser?” 
O amor… também é um grande desafio criativo. Saber gerir todas as emoções que este sentimento provoca tem que ser feito com alguma perícia e muita criatividade.

Ambos nos fazem sentir um pouco… ridículos. Quem nunca se sentiu um pouco assim, vestido de palhaço? 
E quando se apaixona? Tantas dúvidas e medos! “Que ridículo, não devia ter tantas inseguranças!”

Ambos requerem humor ! Acho que este é o ponto em comum mais importante, para mim. Carnaval sem humor, é apenas uma data sem nexo no calendário. Quanto ao amor, saber olhar e viver este sentimento tão arrebatador com um pouco de sentido de humor à mistura, vai ajudar-nos a relativizar muitas coisas… 

No entanto, nem tudo são rosas. Tanto no Carnaval, como no Dia dos Namorados, existe uma espécie de “obrigação” que determina como devemos viver estas datas, o que devemos fazer, onde devemos ir e como devemos comportar-nos.

E se eu não estiver com grande vontade de me divertir no Carnaval?
E se não me apetecer ser romântica no dia 14, mas só no dia 15, ou 17?

Não é uma questão de “ser do contra”, mas… e se eu simplesmente não estiver no mood?
Existe uma pressão da sociedade para que as pessoas sejam ou sintam alguma coisa, apenas porque há uma data no calendário que nos diz isso.

Nada contra quem decide divertir-se no Carnaval ou ser romântico no dia 14. Nada mesmo. A questão é a imposição que de certa forma, retira-nos a espontaneidade, e quase que nos obriga a  uma série de justificações perante as pessoas que nos rodeiam.

“Não te vais mascarar? Oh, mas porquê? Mas está tudo bem? Estás triste? Aconteceu alguma coisa?”
“Não tens planos para dia 14? Hum… Chatearam-se? Não, não, espera, ai, vão terminar TUDO?!”

Ok, talvez tenha exagerado um pouco, mas a verdade é que essa pressão existe, havendo depois todo um negócio que a valida.

Numa época em que tanto se fala em ser fora do padrão, acredito que é muito importante vivermos os sentimentos ao nosso ritmo, sem padrões, obrigações ou imposições. 

Por isso, desejo-te muito amor e diversão nestes próximos dias, mas apenas se for essa a tua vontade! 🙂